segunda-feira, dezembro 29, 2014



Não estou há 3 dias sem dormir, eu só tenho olhos caídos!



As pessoas vivem perguntando porque você está triste, cabisbaixa e cansada. Pode dormir 15h seguidas que a pergunta é a mesma. Pois é, não precisa chorar nem matar ninguém. Olhe no espelho e repare se seus olhos são caídos, ou seja, se os cantos externos são mais baixos que a linha central do olho. Se forem, esse post é pra você! Também vai servir pra quem realmente anda cansada e quer melhorar a aparência.

Pra você a regra de ouro ao maquiar os olhos é deixar a parte debaixo dos olhos o mais sem nada possível. Faça tudo o que quiser na parte de cima – sombra, delineador, máscara e cílios postiços. Quando chegar no canto externo, que provavelmente vai estar com uma cor escura, esfume essa cor levemente pra cima, em direção a sobrancelha. Assim seu olho vai aparentar ter um outro formato, ficando mais amendoado.

Aplique iluminador ou uma sombra clara com cintilância no canto interno do olho (o famoso cantinho da lágrima). Parece frescura, mas esse ponto de luz ajuda a dar um ar mais descansado e pra cima. Se você é adepta de curvex e máscara de cílios, capriche no canto externo dos olhos, afinal seus cílios estarão literalmente apontando pra cima.



Na parte debaixo do olho aplique pouca máscara, lápis se quiser (evite os pretos e prefira os marrons ou beges) e corretivo pra que a região fique bem clarinha.


Pronto, agora já pode virar os 3 dias numa rave e continuar com cara de disposta.

sexta-feira, dezembro 26, 2014



De onde eu blogo - Blogage Coletiva Rotaroots

Depois que vi essa ideia de post no Rotaroots, fiquei um tempão querendo fazer esse post. O problema foi que eu não sabia a resposta.



Nunca tive lugar direito pra blogar. Na verdade nunca tive lugar pra nada. Faço quase tudo em cima da cama, sentada ou deitada. Então, vou contar a trajetória dos lugares por onde já bloguei...

Bem, quando comecei com blogs de verdade, já estava na faculdade e tinha um notebook. Só estudava a noite, e usava ele para tudo – e o dia inteiro. Geralmente, sentada na mesa da sala (nessa época eu não tinha quarto). Até que meu pai começou a se preocupar com minha saúde e a reclamar.

Daí, comecei a procurar coisas que ELE consideraria útil pra fazer online. Assim justificaria o tempo que passava sentada no computador. Na época, descobri o que era freelancer e comecei a encontrar sites onde ofereciam serviços. Daquelas coisas, a única que poderia fazer era escrever. Virei redatora.



Já escrevi sobre vários assuntos. Textos bons e textos terrivelmente ruins. Mas, depois que recebi meu primeiro pagamento pude responder “Pai, estou trabalhando na internet. Faço textos. Dei o número da minha conta e recebi tanto esse mês.”

A partir daí, eu só não podia virar a noite online! Fui mudando de contratante e “subindo de nível”, cheguei a escrever pra portais pequenos E mantinha meu blog, que não era o atual. Hoje, quando leio os textos daquele blog, sinto um certo orgulho de como já escrevia mesmo sem ter nenhum conhecimento pra aquilo. Até hoje ainda estou descobrindo os meus acertos daquela época.

Depois disso, eu namorei, saí de casa e casei. Portanto eu passei a blogar ainda desse notebook, só que da minha casa. Geralmente, sentada/deitada na cama. E continuei “escrevendo pra fora”, como eu chamava. Tinha acabado a faculdade e começado a trabalhar, mas precisava escrever e completar a renda da casa. Não me lembro exatamente em que momento, mas cheguei a fazer um salário mínimo extra.

Simultâneo a isso, estava mudando de blog. Criei o Bia Inspira, dessa vez quase que profissionalmente. Planejei muito, analisei a escolha do nome, verifiquei os usuários disponíveis pra ele e de cara comprei um domínio (pra não ter vários links divulgados com o endereço .blogspot).



Um adendo, eu não tinha internet em casa! Tudo que precisava de internet eu fazia nos meus pais, ou nos minutinhos livres que tinha no trabalho. Ah! Eu usava uma internet em casa sim, a do celular que NÃO ERA 3G. Imagine a rapidez que era isso?!

Quando o dinheiro não faz mais tão necessário, conversei com meu marido sobre parar de “escrever pra fora”. Escrever nesse caso era uma obrigação, e muito mecânico – assunto tal, palavras-chave x, y e z, tantas palavras em tantos parágrafos com tantas imagens.


Já mudamos de casa algumas vezes, e só tivemos uma internet realmente boa quando moramos com meus pais. Hoje, faço esse texto (e mantenho tudo do blog) em um netbook um bocado meia boca, sentada/deitada na cama, na casa que mudamos recentemente. E sem internet.


segunda-feira, dezembro 22, 2014



Odeio meu nariz de batata – O que fazer?

Como todo mundo aprende lá pela quinta série, o Brasil se formou pela mistura de vários povos – portugueses, índios, negros e mais todo mundo que teve coragem de vir. Costumo brincar que somos os vira-latas do mundo.

E aí que nessa brincadeira toda, ficamos nós aqui, com características boas e ruins de todos esses povos misturadas. Nessas heranças ficamos com o nariz mais largo dos africanos, mesmo quando o resto não combina com isso. E agora, o que fazer? Só a faca resolve? Nada disso!

Embora uma das cirurgias plásticas mais realizadas no país seja a rinoplastia (correção do nariz), se você tem medo ou não pretende gastar esse dinheiro todo, tem como dar um jeitinho e afinar o nariz com maquiagem! Sim minha amiga, sai com água mas resolve.

Bem, a ideia é a mesma que do restante da maquiagem – escurecer o que queremos esconder. Nesse caso, você vai fazer um contorno nas laterais do nariz com cores em tons mais escuros que sua pele: só tenha cuidado para esfumar bem e não ficar aparecendo. Provavelmente, a mesma cor que você usa para contornar o rosto vai funcionar. Veja em cinza onde você deve usar o contorno.

Use base, pó ou contorno pra fazer esse efeito. Pra ficar bem feito, use um pincel com formato similar ao de contorno, porém menor (afinal, você não quer contornar as olheiras junto né?) e finalize aplicando um iluminador (uma base mais clara ou um corretivo também serve) na parte superior e na ponta do nariz.

Mas eu não tenho contorno/base/pó mais escuro. Sento na calçada e choro?

Não, pequena gafanhota. Uma sombra marrom SEM BRILHO NEM CINTILÂNCIA também serve. E se nem isso você tiver, vou te contar como foi que aprendi esse truque.

Eu era criança e tinha uma amiga moça de uns 30 anos, cabeleireira. Ela contornava o nariz todas as vezes que se maquiava e sabem com que? Com lápis preto mesmo! Fazia um risco pequeno em cada lateral do nariz e espalhava com o dedo. Juro que não aparecia e surtia efeito.

Então não tem desculpa, pelo menos um lápis preto você tem que ter. Só não exagera, nariz de Michael Jackson ninguém merece...
 
  • Uso de Imagens

    Muitas imagens do nosso site vem de fontes espalhadas na internet, sendo em sua maior parte externas e muitas não autorizadas. Nenhuma das fotos pertencem ao Bia Inspira, a menos que sejam creditadas. Se alguma foto de sua autoria estiver no nosso site e você desejar sua remoção ou inserção de créditos, favor enviar um email para mscbianca[arroba]gmail[ponto]com que prontamente atenderemos ao seu pedido. Obrigada!!!