sexta-feira, janeiro 23, 2015



Entenda os casais pegajosos e grudentos


Pelo que dizem os especialistas em relacionamento, qualquer um pode cair nesse caldeirão de melaço. Basta a paixão brotar. É uma reação esperada entre os apaixonados. O isolamento social vivenciado pelos casais é necessário para solidificar o vínculo amoroso. Todos que se apaixonam passam por isso, em maior ou menor intensidade.

E aquelas vozinhas de bebê, quem diria, também têm uma finalidade. Ao falar como criança, os namorados despertam um no outro o instinto neotênico, a vontade de cuidar do outro como um pai (ou mãe) faz com um filho.

Quem já se apaixonou sabe que se afastar do ser amado no início da paixão pode causar reações emocionais e físicas semelhantes às de uma crise de abstinência. A ciência já provou que, nessa fase, somos praticamente dependentes do objeto da paixão, o que também explica o grude geral. De acordo com uma pesquisa feita por Cindy Hazan, da Universidade Cornell, de Nova York, três substâncias dominam o cérebro no início da paixão: dopamina, feniletilamina e ocitocina, responsáveis pela sensação de bem-estar e euforia.


Uma das consequências da paixão é a dificuldade de pensar de forma racional quando o assunto é o ser amado. É comum o apaixonado só enxergar o parceiro. Tudo que ele faz é para agradar o outro.

Cada casal tem um tempo para começar a se desgrudar. E um grude curto demais pode dificultar o estabelecimento do vínculo afetivo, gerando insegurança em um dos parceiros por não ter passado tempo suficiente com o outro para ter certeza de que é amado. Já um grude muito longo pode sufocar uma das partes, que passa a questionar o relacionamento por achar que não aproveitou a vida como deveria. Ou seja: no amor, até no grude, é preciso haver sintonia.



Um parceiro grudento demais - mas demais mesmo - pode virar um problemão. Há também os grudentos crônicos. Esses precisam descobrir a causa do seu problema - especialistas indicam terapia. Muitas vezes agem assim para compensar algum tipo de carência. Em geral, o retrato falado de um melosão patológico tem este conjunto de traços: controlador, manipulador, dependente, inseguro, carente, ciumento (ainda que não demonstre ou o faça sob forma de zelo) e ansioso.

2 comentários:

  1. Olha eu e meu marido somos grudados em quesito de sair, agora pegar no pé e ficar esses lenga lenga não somos não e nem pode. Estraga relacionamentos!!
    As pessoas tem que ter seu tempo com amigos, sozinhos enfim viver sem pressão!

    Beijos;)
    * Blog da Pâm

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É importante ter liberdade né? É um sinal de confiança...

      Excluir

 
  • Uso de Imagens

    Muitas imagens do nosso site vem de fontes espalhadas na internet, sendo em sua maior parte externas e muitas não autorizadas. Nenhuma das fotos pertencem ao Bia Inspira, a menos que sejam creditadas. Se alguma foto de sua autoria estiver no nosso site e você desejar sua remoção ou inserção de créditos, favor enviar um email para mscbianca[arroba]gmail[ponto]com que prontamente atenderemos ao seu pedido. Obrigada!!!